sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Novo ano

Estou há dias pensando em uma frase ou em um post para resumir meu ano e o que eu ando sentindo. Mas como uma boa garota indecisa que sou, em nada consegui pensar. Queria entender porque em uma noite, o minuto da meia noite para o meia noite e um minuto são tão mais importantes do que o ano inteiro que passou. Talvez porque nosso ano foi horrível e esse um minuto represente mudanças, ou talvez porque o ano foi maravilhoso e esse um minuto represente uma continuação. Mas no fundo, eu não sei. Na minha cabeça o ano inteiro é um livro gigante, e o seu primeiro dia e seu último dia quase que se misturam. Como se não desse para saber onde termina a conclusão e onde começa a introdução. Como se aquele minuto da meia noite fosse tão importante a ponto de ser um divisor de águas. É nesse minuto que a gente faz o possível para se encher de pensamentos bons e positivos de que tudo vai dar certo. E olha que quem vos fala é a mais pessimista de todas as pessimistas. Acho que o que resume o ano velho e o ano novo, é a chance que temos de recomeçar e de fazer tudo melhor, ou de pelo menos tentar inovar. A quem passar por aqui, desejo que meu feliz novo ano dure não só o ano que vem inteiro como todos os outros anos que ainda virão. Um feliz 20etodososanos!!!!

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Eu pensava que me conhecia...

acho que eu ando esquecendo de me conhecer, de saber quem eu sou, o que eu quero, quando eu quero... mais um monte de conjunções seguidas pelo verbo que quer, que deseja, sonha.. ando com uma vontade tão grande de gritar algo que eu ainda não sei o que é. Por enquanto fico com uma frase simples, mas que se entendida, fará grande diferença na minha vida:
- Prazer, para quem não me conhece, pensava que conhecia, ou não conheceu ainda, eu sou a Fernanda!

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

O brilho está em viver..

e o diamante por trás deste brilho está em ser realizado.
vale mais do que dinheiro, mais do que qualquer coisa nessa vida.
vale o bem estar, o ser feliz, o ser um humano inteiro, completo.
sem faltar pedaços de sonhos que ficaram pelo caminho.
que foram esquecidos.
porque sonhos são bonitos enquanto a gente dorme,
quando a gente acorda vira realidade.
encarar esses fatos não é para qualquer um.
é por isso que não tem preço o ser realizado.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Parênteses

Meu mantra da felicidade não funcionou. O kings não abriu outras datas no Rio.
Maaaaaas eu consegui chegar naquele fim de mundo que chamam de Itú e ver meus meninos de pertinho pela segunda vez após exatos cinco anos. Perfeito!!
ps.: eu precisava dividir essa felicidade!!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

domingo, 8 de agosto de 2010

Filmes, lamentações e vontades

A Terra gira, o dia acaba, a semana passa, o tempo voa e eu ainda estou no mesmo lugar do mesmo jeito desde que nasci. Não que seja uma reclamação, apenas uma afirmação. Estranho como eu escrevo aqui sem ter motivo para escrever. Não sou obrigada, mas gosto. E também estou ciente de que ninguém é obrigado a ler lamentações alheias. Eu não obrigo ninguém a ler meu blog. Nem posso, e se caso pudesse não o faria. Isso seria tortura e eu sou muito nova para apodrecer na cadeia, ainda nem fiz algum item da minha lista de coisas para fazer antes de morrer. Ainda nem fiz a minha lista de coisas para fazer antes de morrer. Vou pensar sobre isso essa semana.

Mas morrer é um termo pesado, né? Por que não "The Bucket list"? Coisas para fazer antes de bater as botas soa mais simpático. Sim, a mesma do filme "Antes de Partir"! Com o Nelson Mandela, fazendo papel de Morgan Freeman. Brincadeira a parte (eu sei que sou sem graça), mas desde que vi "Invictus" não pude esquecer o quanto eles são idênticos. Mais ou menos como a (linda e perfeita) Meryl Streep no papel de Julia Child em "Julie e Julia".

Foi um dos últimos filmes que eu assisti e pelo qual ando fissurada. Ontem o vi pela segunda vez. É incrível como me identifiquei tanto com a Julia quanto com a Julie. Principalmente a Julie. Sua crise dos 30, o fato de ela querer ser uma escritora, não conseguir e depois de muito tempo descobrir seu talento. Às vezes eu me imagino exatamente assim. Descobrindo meu talento somente depois de trinta anos (eu ainda tenho quase vinte). Morando num apartamento pequeno, com um cachorro e um computador. Com um blog que fale de coisas interessantes e perspectiva de fazer algo verdadeiramente últil. Acho que é isso que eu tenho sentindo. Vontade de algo novo. Mas tudo parece tão distante. Lamentações a parte, é isso. Ah, se der, pelo menos assistam os filmes, são bons.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Eu preciso muito..

DESSE SHOW DO KINGS!!!
oi? será que alguém ai mora em itu?
repitam comigo o mantra da felicidade:
o kings vai abrir outras datas no rio
o kings vai abrir outras datas no rio
o kings vai abrir outras datas no rio
cruzem os dedinhos e rezem para que isso dê certo!! ê, delícia!

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Caipirinha x Laranjada

E neste finzinho de copa para o Brasil venho dar um salve para os torcedores que acreditaram até o último minuto que seríamos campeões, para os maridos que aguentaram firme os comentários alucinados de suas esposas, para as namoradas que gastaram dinheiro dando uma camisa do Brasil para os namorados (olha eu aí, gente), para o Galvão Bueno que mesmo "lendo" milhares e milhões de "cala a boca" continuou falando até o último minuto e ainda por cima rouco (uma proeza), para o Dunga nosso "amado" técnico, para os jogadores que mesmo perdendo a copa continuam ricos e para o povo Brasileiro que deixou de abrir seu negócio para ver o jogo e ainda gastou dinheiro com churrasco, cerveja e o mais importante, fogos de artifício. Queria terminar mandando uma rasteira para o Felipe Melo e um alô para a Fátima Bernardes: veja o lado positivo, daqui a pouco você vai estar com o William de novo e vão poder ver a final da copa juntinhos em casa, delícia, não?

quinta-feira, 24 de junho de 2010

E eu ando meio perdida...

.. entre sonhos, desilusões, desejos e angústias. não sei mais como definir. só sei que algo anda estranho. não sei que palavra usar. sei que no meio desse universo de caracteres, talvez só uma, só "uminha" palavra resuma meu estado atual: duvida.

sábado, 29 de maio de 2010

Sonho

queria ser corajosa como o Kiwi e não me contentar com o que eu ganho da vida. definitivamente não canso de ver esse "passarinho sem asa" voando.

domingo, 11 de abril de 2010

E o que tem tirado meu sono são meus pensamentos..

que não me deixam viver simplesmente sorrindo por ai. grande parte da minha angústia vem do meu pensar (penar). decidi que entre ser tola ou depressiva, eu fico com a depressão. antes um pensamento construtivo do que uma vida vazia. quem sabe um dia, meus conflitos não me levarão a algo novo? nem que seja um sentimento. pois na busca de soluções para meus conflitos, sempre procuro palavras para descrever o que não existe, ou não pode ser tocado. algo abstrato. pode ser um sentimento, ou não. por enquanto, fico reclusa a minha doce ignorância de saber que quanto mais eu vivo esse mundo surpreendente, mais eu penso, mais duvidas encontro e no fim, menos eu sei. e o que eu penso sobre isso? penso que pensar faz parte da doce utopia do saber - algo que você não vê, nem toca, mas sabe que existe dentro de você, nem que seja, em pensamentos.

terça-feira, 16 de março de 2010

Lembrete

quando tudo for mal
e a última gota de esperança secar
não esqueça que sempre existe
uma lágrima pronta para lavar
e levar
tudo de ruim que não podemos evitar...

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Um tempo pesado, uma leve brisa

Sempre tive uma fixação com o tempo. Não que eu ande o dia todo olhando as horas tentando controlar cada segundo. Eu apenas gosto de imaginar o tempo. Sei que já falei outras vezes sobre o tempo aqui, mas cada vez que eu penso sobre esse assunto, novas teorias surgem (isso deve ser parte da minha fixação).

O moço que nos envelhece e que de tanto insistir, nos faz esquecer até o que juramos que jamais será esquecido. No geral as coisas ruins, aquela dor sentida ou aquele amor amargo.

O tempo é como uma brisa leve. E é assim que ele funciona. Bate em nossa face todos os dias. Deixando duvidas e rugas, levando dores e respostas. Quanto mais o tempo passa, mais duvidas temos, menos respostas encontramos. A mente fica cada vez mais apta a perceber, que só quem pode nos ajudar em certos momentos é a brisa do tempo. Nós continuamos vivendo em momentos difíceis.

Para os desesperados, brisa leve, leia-se passar do tempo, ou apenas um estado otimista...

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Depois do carnaval, tem um ano até o próximo

Estou cansada, cantarolando "rebolation" o dia todo e com um sentimento de que meu carnaval foi bom. Desde que me entendo por gente, ou seja, desde que lembro dos meus pensamentos, uso o carnaval como termômetro do ano. Carnaval bom, ano bom, carnaval ruim, ano ruim. Isso nunca fez sentido para mim, mas sempre pensei assim. Como se eu recarregasse energias no carnaval para usar o ano todo. E por incrível que pareça, mesmo passando carnaval em Passa Vinte (e você pergunta, onde fica isso?), meu carnaval foi bom. De verdade.
E nem isso está me animando para começar na prática 2010. Ano de número par, de copa e muita coisa boa como dizem por ai. E nem isso me anima. 2010 parece um fardo que eu tenho que carregar e nem o carnval - que eu tanto gosto - consegue me tranquilizar.
Sem contar que eu vou ficar sem namorado todo dia e sem tudo de blog.
Salve nossa revista virtual, feita por quase todas ex-blogueiras da capricho, que se Deus quiser vem por ai (quando sair mesmo, divulgo aqui).
É, no fim, com ou sem folia, tem um ano por vir. E no fim, quero viver o que vai acontecer. Da forma mais natural do mundo, um passo de cada vez. Prometo no final, tentar confirmar ou não minha teoria do carnaval.
Agora sim, que comece de vez, 2010!

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

pelo que eu tenho esperado..

...o "waiting" cada dia parece ficar maior
e o "song" parece estar cada dia mais longe.
vai entender. quando parece que eu tenho tudo, o tudo desanda e no fim eu não tenho nada.
salve a família e a saúde. porque o resto está difícil.
e esse negócio de esperar anda me irritando (estou até pensando em mudar o nome do blog, waiting é meio otimista demais pra mim). eu tenho medo, um setimento horrível e três tridents de menta da minha bolsa (só pra descontrair). muito medo mesmo.
só espero que esperar o "song" não seja em vão.
e quando ele chegar, eu não o cante sozinha.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

oi,

dizem que a esperança é a última que morre. vida longa à esperança e sorte aos que precisam.
to querendo que as coisas andem mais ou menos por ai, nesse caminho.
preciso disso e mais nada. só, somente, isso! mais sorte, mas nunca sozinha.
é, talvez isso. não sei.
confusão, quer saber? melhor ficar longe. é isso:
tchau.

sábado, 16 de janeiro de 2010

sad but true

preciso ficar longe desse blog. ou então a promessa "não postar coisas depressivas no blog" será em vão.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Ganhando um milhão e meio

Aaaah, é para vencer o Big Brother Brasil? Vale tudo, tudo mesmo: ser a santa ou ser a piranha, causar intrigas ou ficar bancando o tipo "não gosto de barracos", fazer parte de panelinhas ou fazer a social com todos, e por ai vai.. No fundo não existe uma receita. Vencerá o melhor jogador, por isso vale a pena jogar. E sem esquecer, ser boa praça, aparentar bom caráter e ser bom moço/boa moça diante de situações "sérias" e "decisivas". Do mais, é um show de realidade, ganha aquele parece ser ele mesmo e que menos parece fingir. O povo quer a realidade e os participantes o dinheiro. Não sei ao certo o que eu faria, mas com certeza eu iria brigar muito pelo dinheiro e jogar. Afinal, é muita grana em jogo.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

ta mara

amigo de verdade é aquele que você fica quase dois anos sem ver e quando se encontram, nada mudou. a mesma sintonia, a mesma conversa e as mesmas risadas. é assim que tem que ser, numa amizade de verdade.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

so have a nice day

Tenho o hábito de começar o ano nostálgica. Esse ano começou diferente. Admito que como sempre acontece, eu tive um nó na garganta durante a virada do ano. Um minuto de diferença e várias histórias ficam para trás, ficam para o ano passado. É como se nossas vidas fizessem um aniversário particular e coletivo, ao mesmo tempo, no mesmo minuto. E esse bando de viagens me fizeram começar esse ano diferente. Tudo bem, com nó na garganta e o frio na barriga de sempre. Mas com um sentimento de leveza. De que eu cumpri o meu dever e fiz tudo como deveria ter feito, agradecendo sempre tudo de bom que aconteceu comigo. Nunca tive um momento tão de bem com a vida. E a última coisa que precisamos, é de fatalidades para perceber o quanto precisamos da vida e de dar valor a ela. Diante dos acontecimentos, isso não é mais clichê, é fato. Por isso que eu quero dizer aqui o que eu já venho dizendo faz algum tempo: eu amo a vida que eu tenho e quero agradecer isso todo dia. E é isso, só isso e mais nada que eu queria dizer.