sábado, 16 de janeiro de 2010

sad but true

preciso ficar longe desse blog. ou então a promessa "não postar coisas depressivas no blog" será em vão.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Ganhando um milhão e meio

Aaaah, é para vencer o Big Brother Brasil? Vale tudo, tudo mesmo: ser a santa ou ser a piranha, causar intrigas ou ficar bancando o tipo "não gosto de barracos", fazer parte de panelinhas ou fazer a social com todos, e por ai vai.. No fundo não existe uma receita. Vencerá o melhor jogador, por isso vale a pena jogar. E sem esquecer, ser boa praça, aparentar bom caráter e ser bom moço/boa moça diante de situações "sérias" e "decisivas". Do mais, é um show de realidade, ganha aquele parece ser ele mesmo e que menos parece fingir. O povo quer a realidade e os participantes o dinheiro. Não sei ao certo o que eu faria, mas com certeza eu iria brigar muito pelo dinheiro e jogar. Afinal, é muita grana em jogo.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

ta mara

amigo de verdade é aquele que você fica quase dois anos sem ver e quando se encontram, nada mudou. a mesma sintonia, a mesma conversa e as mesmas risadas. é assim que tem que ser, numa amizade de verdade.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

so have a nice day

Tenho o hábito de começar o ano nostálgica. Esse ano começou diferente. Admito que como sempre acontece, eu tive um nó na garganta durante a virada do ano. Um minuto de diferença e várias histórias ficam para trás, ficam para o ano passado. É como se nossas vidas fizessem um aniversário particular e coletivo, ao mesmo tempo, no mesmo minuto. E esse bando de viagens me fizeram começar esse ano diferente. Tudo bem, com nó na garganta e o frio na barriga de sempre. Mas com um sentimento de leveza. De que eu cumpri o meu dever e fiz tudo como deveria ter feito, agradecendo sempre tudo de bom que aconteceu comigo. Nunca tive um momento tão de bem com a vida. E a última coisa que precisamos, é de fatalidades para perceber o quanto precisamos da vida e de dar valor a ela. Diante dos acontecimentos, isso não é mais clichê, é fato. Por isso que eu quero dizer aqui o que eu já venho dizendo faz algum tempo: eu amo a vida que eu tenho e quero agradecer isso todo dia. E é isso, só isso e mais nada que eu queria dizer.