sexta-feira, 27 de novembro de 2009

sábado, 21 de novembro de 2009

Um ser gay

Adoro a capacidade que nós desenvolvemos ao longo do tempo de ignorar certas coisas porque elas são diferentes. Ah, eu também adoro ser irônica. Bom, cada vez mais os homossexuais estão sendo bem aceitos. Por que não um personagem de uma revista em quadrinhos que faz tanto sucesso ser gay? Ué, o próprio Maurício de Sousa disse que a revista seria direcionada a um público adolescente/ adulto, não infantil. Estamos no século vinte e um. Já vivemos tanta coisa, temos tantos problemas para resolver. Me diz, por que uma história em quadrinhos que mostra um personagem muito comum na vida real deve ser tão polêmica? Sem contar que ser homossexual não é questão de influência, e sim de opção, pensamentos, desejos... Muitos já nascem no sexo errado. Não acho que um personagem, um ser gay, possa ser má influência para crianças que por acaso venham a ler as tais histórias. Melhor que as crianças convivam desde sempre com as diferenças. Tenham pensamentos mais abertos. E quem sabe, aprendam a ser bem melhores do que somos hoje.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Antes que o mundo termine..

Se o mundo fosse acabar em 2012, eu com certeza me endividaria até o pescoço só para ter uma bolsa da chanel, casaria com meu namorado e sairia com ele para conhecer o maior número de lugares que eu nunca fui e culturas que eu nunca provei. Mas o mais importante é que eu faria de tudo para viver sem arrependimentos até o último minuto. Clichê? É, mas realizada até o fim.

sábado, 14 de novembro de 2009

Dois mil e nove e eu

O meu ano (até agora) foi uma receita gigante de bolo. Com direito a indecisão, felicidade, preocupação, uma pitada de tristeza (bem pouquinho mesmo) e muita nostalgia. 2009 tem sido um ano meio estranho. Não fiz grandes realizações e nem grandes descobertas. Fiz um ano de cursinho. Fiquei com medo de fazer jornalismo, mas por fim descobri que é isso mesmo que eu quero (agora as inscrições já estão feitas e não tenho mais como voltar atrás). Esse foi o primeiro ano morando perto do meu namorado, ano passado era ele no Paraná e eu no Rio de Janeiro e foi o primeiro ano longe de quase todas minhas amigas. Cada uma foi para um canto, afinal esse também foi o primeiro ano após o término do colégio. Praticamente um ano inovador e ao mesmo tempo sem novidades. Não sei se esse foi um ano que marcou minha vida, mas sei que depois dele eu aprendi a valorizar quem me ama (ou no mínimo faz de conta que me ama). Sei que eu esse ano me deixou morrendo de saudades do ensino médio e morrendo de vontade de passar no vestibular. E por sinal essa é a única coisa que falta para esse ano que parece uma receita sem sal terminar bem: passar no vestibular. De resto, é isso. Nem mais, nem menos. Apenas mais um ano, apenas 2009.

sábado, 7 de novembro de 2009

ser feliz é...

esquecer tudo aquilo que não convém: problemas, tristezas, preocupações, dificuldades e decepções. fácil para uns, difícil para outros. uns otimistas, outros pessimistas. deve ser por isso que eu ando melancólica. eita copo meio vazio que nunca enche. tenha paciência...