sábado, 14 de novembro de 2009

Dois mil e nove e eu

O meu ano (até agora) foi uma receita gigante de bolo. Com direito a indecisão, felicidade, preocupação, uma pitada de tristeza (bem pouquinho mesmo) e muita nostalgia. 2009 tem sido um ano meio estranho. Não fiz grandes realizações e nem grandes descobertas. Fiz um ano de cursinho. Fiquei com medo de fazer jornalismo, mas por fim descobri que é isso mesmo que eu quero (agora as inscrições já estão feitas e não tenho mais como voltar atrás). Esse foi o primeiro ano morando perto do meu namorado, ano passado era ele no Paraná e eu no Rio de Janeiro e foi o primeiro ano longe de quase todas minhas amigas. Cada uma foi para um canto, afinal esse também foi o primeiro ano após o término do colégio. Praticamente um ano inovador e ao mesmo tempo sem novidades. Não sei se esse foi um ano que marcou minha vida, mas sei que depois dele eu aprendi a valorizar quem me ama (ou no mínimo faz de conta que me ama). Sei que eu esse ano me deixou morrendo de saudades do ensino médio e morrendo de vontade de passar no vestibular. E por sinal essa é a única coisa que falta para esse ano que parece uma receita sem sal terminar bem: passar no vestibular. De resto, é isso. Nem mais, nem menos. Apenas mais um ano, apenas 2009.

2 comentários:

Natália disse...

2009 um ano cheio de coisas, com certeza diferente do ano passado e pior que o ano que virá, ou melhor, quem sabe! beijos

Tata disse...

"Fiquei com medo de fazer jornalismo, mas por fim descobri que é isso mesmo que eu quero"

*_____________________________*