sexta-feira, 19 de junho de 2009

Chega de Saudade

E a saudade de que tanto falamos, anda com saudade de ter um sentido de verdade. A pobre coitada que judia de nós, muitas vezes é judiada. Eu sei, ela não é tão pobre coitada assim. Ela é forte, e quando pega, paciência. Gruda nas nossas vidas e invade todos nossos pensamentos. Isso sim é saudade, é sofrer, é não saber explicar o que estamos sentindo. É vontade de reviver cada momento e ficar para sempre perto de quem amamos. Saudade é nostálgica. Faz lembrar alguém, ou o passado. Se não for isso que você estiver sentindo, não use saudade. Use o velho “sinto falta”, senão o sentimento e a palavra perdem o sentido.

Saudade eu sinto da minha infância, do meu avô... Falta eu sinto de quem nunca foi muito próximo ou de algo que não teve muito significado para mim. E olha que eu sou doutora em saudade. Ano passado namorei o ano inteiro à distância, meu namorado em Curitiba e eu no interior do Rio de Janeiro. Ano passado também terminei o terceiro ano. E esse ano, a cada dia que passa, um vazio enorme cresce dentro de mim.

Sinto tanta saudade do velho terceiro ano. Das aulas, das manhãs e tardes agitadas. A cumplicidade da turma quando preciso e a bagunça sempre necessária.

Hoje eu não vejo mais quase ninguém. É estranho, porque às vezes eu encontro um ou outro na rua, e por causa de tempo ou pressa, mal conversamos. Tenho a impressão de que o vazio que eu sinto, é o fato de que os amigos que conviveram comigo durante toda a minha vida estão virando desconhecidos. Aos poucos. E acho que é por isso que o sentimento de saudade vai crescendo dentro de mim. No futuro, provavelmente quando a gente se encontrar por ai, vamos nos cumprimentar e nem teremos mais assuntos em comum. Só depois é que a ficha vai cair e nós vamos pensar: “saudades do meu tempo de colégio!”.

A saudade vai me acompanhar, vai nos acompanhar para sempre. E eu acho uma pena que nos tornemos desconhecidos com o tempo. Tenho certeza que o vazio que eu sinto, era antes o lugar ocupado pelos amigos que não fazem mais (tanta) parte da minha vida. A solidão que eu sinto dentro de uma sala de cursinho lotada, é a saudade dos meus amigos. Grande parte das minhas melhores amigas eu nem vejo mais direito, o que às vezes dói tanto.

E é isso que eu chamo de saudade.

E quem a usa em vão, não sabe o que está dizendo. Aprendi isso com a vida. Já senti saudade de tanta coisa. Lembro que quando meu namorado estava em Curitiba, a gente conversava e nunca sabia descrever o que estava sentindo. A gente só sabia que era algo muito ruim.

Era saudade.

A cada dia que passa, eu vejo que a nossa sina é viver e sentir saudades daquilo que nós vivemos. Ela é tão única, que é uma das palavras mais difíceis de serem traduzidas para outros idiomas (lembre-se, americanos frios e calculistas só sentem falta!).

Realmente, saudade não é uma pobre coitada. É coisa de quem tem sentimento. Todo mundo sente ela mais cedo ou mais tarde. Só não a confunda com “sinto falta”. De resto, a saudade nos faz crescer. Nos torna fortes. Aprendo e aprendi muito com ela. Quando não a sinto, sinto saudade de senti-la. Ela me faz pensar e me faz sempre lembrar do que a minha vida é feita e como ela foi construída. Por isso, não chega de saudade. Transforme-a em um instrumento aliado de suas lembranças. Sinta mais, pense mais, lembre mais... Dê valor a cada momento vivido, e assim a vontade de viver e ter mais momentos nunca vai perder o sentido!

4 comentários:

disse...

você escreve muito bem, e o seu texto é lindo *-* e realmente, o que nós dói mais, que dá aquele aperto no peito, é saudade .. e é ridiculo quem usa essa palavra em vão !

beijos
:*

ps. seguindo ;)

Tata disse...

Mais um post pra categoria "momentos depressivos/emoxinhos"

Nathalia disse...

'Grande parte das minhas melhores amigas eu nem vejo mais direito, o que às vezes dói tanto.'

por isso, vá no arraiá :~

sinto SAUDADES de você, <3

ps: texto lindo *-*

Menininhas disse...

Vocêe escreve muito beem,to precizando de uma ajuda com o meu blog se poder me ajudar me add no msn:julia-ccp@hotmail.com